Em novembro, a 2ª edição do Projeto Escola em Cena terá uma intensa imersão nas artes com 9 peças, 3 oficinas, debates e seminário

Alunos de escolas públicas ampliam a percepção da realidade pelo teatro

De 6 a 11 de novembro de 2023, o Projeto Escola em Cena promoverá uma intensa programação para aproximar jovens espectadores de escolas públicas de São Paulo ao teatro e às artes. Serão apresentadas 9 peças (Coletânea, Chorinho, A Professora, Ubu Rei, Otelo, Antipássaro, Noite de Reis, Lelé Livreto e E Se Fosse com Você?), um seminário de formação de espectadores com 3 mesas e profissionais de vários países da América Latina, Argentina, Brasil e Peru e três oficinas de capacitação de professores e agentes em formação e gestão de públicos.

O objetivo é a formação de jovens espectadores, uma ferramenta indispensável para a democratização do teatro e da cultura. A realização é da COMMUNE e da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, em parceria com a Rede de Teatros e Produtores Independentes de São Paulo, através de uma emenda parlamentar da Vereadora Cris Monteiro. Todos os eventos são gratuitos!

O Escola em Cena terá uma diversidade em espetáculos e debates. Peças adultas, infantis, comédia, drama, poesia, textos de Shakespeare e John Mowat, grandes artistas como Augusto Marin, Elias Andreato, Eliete Cigaarini, Esther Góes, Leo Stefanini, Nilton Bicudo e Wilson Antunes. E importantes companhias, Duo Teatral, Fuxico de Teatro e Lúdica. As peças acontecem no Teatro Commune, na Consolação, e no Instituto Euachoumabsurdo, na Cidade Ademar, na Zona Sul.

“Neste projeto, uma das figuras mais importantes é o professor. É ele que acaba fazendo a ponte entre os alunos e o teatro. Por isso, é fundamental capacitar os professores para que manejem bem as ferramentas e técnicas para a formação de público”, diz Augusto Marin, idealizador do projeto.

A abertura será no MIS (Museu da Imagem e do Som), dia 6 de novembro, segunda-feira, das 9h às 13h, com a participação de Marília Marton, Secretária Estadual de Cultura, Cris Monteiro, vereadora, Belém Parrilla (Argentina), que integra a equipe de coordenação do Programa de Formação de Espectadores de Buenos Aires, Sabrina Cassini (virtual), gestora cultural, especializada no formação de públicos, Augusto Marin , Carlos Meceni, Esther Góes e Nilton Bicudo, atores, Antônio Carlos de Moraes Sartini, gestor cultural e Coordenador do Teatro Alfredo Mesquita, André Sturm, Diretor do MIS, e representantes das áreas da cultura e educação da cidade e do estado de São Paulo e de entidades, como, SESI, SESC, entre outras. É aberta ao público e não precisa confirmar presença.

A formação de espectadores é uma ferramenta indispensável para a democratização da cultura, tornando acessível as artes às pessoas, porém também aproximando as pessoas dos artistas. É conhecido que a partir do momento que a arte foi concebida como parte de uma indústria e, por tanto, como uma mercadoria, o artista se distanciou do outro público que não são seus pares culturais. Quem assiste um espetáculo observa que se criaram diferentes nichos de consumo de difícil intercâmbio (há público de jazz, de dança contemporânea, de teatro independente, de ballet, etc.), porém dirigidos a uma minoria em espaços cada vez menores. O artista não é artista sem as pessoas, assim como as pessoas não são pessoas sem arte. “Nesses tempos cada vez mais digitais, é fundamental investir na formação de jovens espectadores para que eles adquiram o gosto pela arte e pelo teatro e se tornem cidadãos mais críticos e participativos”, completa Marin.

A linguagem teatral amplia e potencializa as experiências educativas dos jovens, aproximando-os sensível e conceitualmente das questões do meio em que vivem.

A ideia é estimular estudantes da rede pública a criar gosto pelo teatro, conhecendo a cena independente e vivenciando diferentes linguagens e estéticas nos pequenos e intimistas espaços de rua. Refletir sobre as estratégias de formação de espectadores e capacitar professores e gestores culturais a trabalhar com a ferramenta da formação de públicos.

Programação

Peças por data – Mais detalhes das peças no link https://www.bemelmans.com.br/2023/10/30/pecas-do-projeto-escola-na-cena-por-ordem-de-exibicao-com-data-sinopse-detalhes-ficha-tecnica-genero-duracao-e-classificacao/

6 de novembro, segunda-feira
Teatro Commune

Coletânea – Cia Retratos – Foto de Wilian Aguiar

Às 15h, Coletânea, da Cia Retratos, inspirada na obra de Eduardo Coutinho usa metalinguagem e a simplicidade documental para apresentar histórias que costuram depoimentos de personagens de filmes do cineasta, experiências dos próprios atores e muitas outras referências reais e ficcionais em um intrigante jogo cênico.

8 de novembro, quarta-feira
Teatro Commune

A Professora – foto de Manuela Paulino

Às 9h30, A Professora, da Cia Lúdica

Sinopse: O espetáculo narra as circunstâncias que envolvem Cícera, uma professora de artes cênicas, que com algumas alunas criou um coletivo de performance no qual desenvolvem atividades como teatro, dança e música. Nos bastidores do universo artístico, onde os sonhos dessas jovens florescem, a busca pelo conhecimento e pela transformação do mundo, o desejo de realização profissional e a liberdade de viver são abalados por uma condição de vulnerabilidade. Isso ocorre após a morte trágica de um jovem aluno, que desencadeia uma série de conflitos com o grupo e seus familiares.

Chorinho com Cida Lima e Ronaldo Barbosa da Cia Fuxico de Teatro

Às 14h, Chorinho, da Cia Fuxico de Teatro

Sinopse: A vida urbana de duas personagens, a tia, uma senhora aposentada (Cida Lima) e o morador da praça (Ronaldo Barbosa) aparentemente antagônicos que aos poucos iniciam uma amizade pouco provável. Com humor e poesia, em sete momentos do espetáculo, eles compartilham suas histórias, medos e solidão.

9 de novembro, quinta-feira
Teatro Commune

Ubu Rei, Esther Góes e Augusto Marin – Foto de Luiz Áureo

Às 9h, Ubu Rei, baseado em Alfredo Jarry

Direção: Armando Liguori Júnior
Com Esther Góes e Augusto Marin e grande elenco

Sinopse: Ubu é um personagem monstruoso, despótico, corrupto e sem escrúpulos e homem da confiança do Rei. Manipulado pela esposa, assassina o Rei Venceslau e usurpa o trono polonês.

Otelo – Foto de Carlos Garcia

Às 14h30, Otelo, de John Mowat

Sinopse: Desdêmona, uma jovem negra e Otelo, general de Veneza, jovem e branco, casam-se secretamente contra a vontade da mãe dela, Dona Brabancia. Iago quer vingar-se de Otelo por este ter promovido o jovem Cassio em seu lugar ao posto de tenente coronel.

O Antipássaro com Nilton Bicudo – Foto de Rodrigo Chueri

Às 20h, O Antipássaro, direção e roteiro de Elias Andreato, com Nilton Bicudo

Sinopse: O Antipássaro é sobre a vida e obra de Orides Fontela, poeta, nascida em São João da Boa Vista, São Paulo, em 21 de abril de 1940, Orides Fontela é uma das mais importantes poetas brasileiras. Sua pequena e densa obra se sobressai pela radical modernidade e cortante lucidez de sua linguagem.

10 de novembro, sexta-feira
Teatro Commune

Noite de Reis – Armando Filho, Bryan Parasky e Maira Natássia

Às 20h, Noite de Reis de William Shakespeare

Direção e concepção – Eliete Cigaarini

Sinopse: Viola é sobrevivente de um naufrágio no qual julga ter perdido por afogamento seu irmão gêmeo, Sebastian. Perdida em Ilíria, Viola decide vestir-se de homem para conseguir um meio de sobrevivência e procura trabalho no palácio do governador da cidade, o Duque Orsino.

11 de novembro, sábado
Cidade Ademar

Lelé Livreto com Wilson Antunes

Às 15h30, Lelé Livreto com Wilson Antunes

Lelé Livreto é um desbravador literário, sempre desvendando histórias. A cada aventura uma nova história para contar e ser vivida. Em cada conto, sempre há novas descobertas. Em cada ação, o personagem Lelé livreto narra e encena com a ajuda de objetos cênicos que remete, por vezes, aquilo que não se pode ver, mas imaginar.
Ao final de cada história, há um jogo de adivinha em que o vencedor ganha um livro. Uma maneira de elucidar a importância da brincadeira, imaginação e estímulo a leitura.

E Se Fosse Com Você? – Duo Teatral

Às 17h, E Se Fosse Com Você? do Duo Teatral – Direção: Marcos Loureiro

Sinopse: Tudo seria maravilhoso naquela sala de aula se não fosse a agressividade de alguns alunos. Pelos pátios do colégio, perto da cantina, Animal e sua turma agridem os colegas. Eles colocam apelidos horrorosos naqueles que são um pouco diferentes: os que usam óculos, os mais gordinhos ou mais magrinhos. Qualquer diferença é motivo de xingamento, gozação e ofensa. Mas a professora Nanci descobre uma forma eficiente de acabar com esse tipo de atitude.


Seminário

Seminário Internacional de Formação de Jovens Espectadores

Teatro Commune (6, 7 e 8 de novembro, das 19 às 22h)

O Seminário, com 3 mesas e 9 debatedores, nacionais e internacionais, com convidados de Argentina, Brasil e Peru, participando de forma presencial e virtual, no Teatro Commune para debater sobre gestão e formação de públicos, no teatro e cinema, pós pandemia, em especial com alunos e professores de escolas públicas. São elas:

Mesa 1 – Comunidades Culturais e o Teatro no Pós Pandemia

Dia 6 de novembro – às 19h – Teatro Commune

Sabrina Cassini (ARG) – Socióloga e Gestora Cultural

Natalia Cunha – (BR) Diretora das Oficinas Culturais Poiesis

Esther Góes (BR) – Atriz e Produtora

Mediação: Antônio Carlos de Moraes Sartini (BR)

Mesa 2 – Gestão de Públicos e Espaços de Cine e Teatro de Rua

Dia 7 de novembro, às 19h – Teatro Commune

Juliana Brito (BR) – Diretora Executiva Belas Artes Grupo

Melissa Giorgio (PERU) – Atriz e Gestora cultural

Junior Suci (BR) – Diretor da Divisão de Cultura da SME de São Paulo

Mediação: Luís Avelima (BR) – Poeta e Produtor Cultural

Mesa 3 – Gestão e Formação de Jovens Espectadores na Era Digital

Dia 08 de novembro, às 19h – Teatro Commune

Belén Parrilla (ARG) – Atriz e Coordenadora do Programa de Formação de Espectadores de Buenos Aires

Renato Barreiros (BR) – Superintendente de Promoção e Articulação das Fábricas de Cultura

Ana Salles Mariano (BR) – Gestora e Profa. PUC SP

Mediação: Augusto Marin (BR), Diretor do Teatro Commune e Rede de Teatros e Produtores Independentes

Oficinas

Oficinas de Formação de Espectadores com Professores
O objetivo é capacitar professores e gestores culturais para trabalhar com ferramentas e técnicas de formação de espectadores e gestão de públicos nas escolas, mediando a relação com artistas e produtores.

As oficinas serão coordenadas por Belén Parrilla, atriz que integra a equipe de coordenação do Programa de Formação de Espectadores, do Ministério de Educação, em Buenos Aires, Argentina.

2 oficinas acontecerão no dia 07 de novembro (terça-feira), no Teatro Commune, Rua da Consolação, 1218 (Metrô Higienópolis-Mackenzie), das 9h às 13h e das 14h às 18h

1 Oficina no dia 10 de novembro (sexta-feira), no Instituto Euachoumabsurdo, Cidade Ademar, das 14h às 18h

Endereços

MIS – Museu da Imagem e do Som
Av. Europa, 158 – Jardim Europa, São Paulo – SP, 01449-000

Teatro Commune
Rua da Consolação, 1218, Consolação, 01302-001, São Paulo/SP
Fone: (11) 97665 2205
Instagram @teatrocomunne

Cidade Ademar

Instituto Euachoumabsurdo

Rua Leon Carvalho, 105 – Jardim Martini, 04439-030, São Paulo – SP
Instagram @euachoumabsurdo

Quadra: Rua Leon Carvalho, 131

Jd. Martini CEP 04439-030

Grátis!

Mais detalhes das peças no link https://www.bemelmans.com.br/2023/10/30/pecas-do-projeto-escola-na-cena-por-ordem-de-exibicao-com-data-sinopse-detalhes-ficha-tecnica-genero-duracao-e-classificacao/

Link de fotos – https://drive.google.com/drive/folders/1L_x2_Ayi_lD4cGex-e9sErWZnRWk2qvb?usp=sharing

Assessoria de imprensa
Miriam Bemelmans

miriam@bemelmans.com.br
(11) 3034-4997 e (11) 9 9969-0416
https://www.bemelmans.com.br
Instagram: @mbemel
https://linktr.ee/bemelmans

Sócia-diretora da Bemelmans Comunicações, empresa de assessoria de imprensa. É formada em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero de São Paulo. Fez Curso de Assessoria de Imprensa para empresas em momentos de crise.
Post criado 17

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo